Crédito Rural

Depois de duas décadas separados, o pequeno, o médio e o grande produtor rural estão trabalhando juntos para garantir a segurança alimentar do Brasil e do mundo. No Plano Safra 2019/2020, o primeiro após a reunificação dos ministérios, o governo reservou R$ 225,59 bilhões para o plano agrícola e pecuário e mais do que dobrou o seguro rural, que alcança a cifra inédita de R$ 1 bilhão. Desta vez, o governo liberou mais verbas para subvenção do crédito dos pequenos produtores.

E os médios produtores serão beneficiados com aumento de 32% nas verbas de custeio e investimento, a taxas compatíveis com o seu negócio. Também pela primeira vez, os pequenos agricultores vão poder usar recursos do Plano Safra para construir ou reformar suas casas. Outra boa novidade é que o agronegócio passa a ter mais opções de financiamentos em bancos.

Custeio

Com o Custeio Agropecuário você pode financiar despesas com insumos, tratos culturais e colheita do ciclo produtivo da lavoura, e a produção de mudas e sementes certificadas e fiscalizadas.

Comercialização:  quando destinados, isoladamente, ou como extensão do custeio, a cobrir despesas próprias da fase sucessiva à coleta da produção, sua estocagem, transporte ou à monetização de títulos oriundos da venda pelos produtores.
Industrialização: Industrialização de produtos agropecuários, quando efetuada por cooperativas ou pelo produtor rural em sua propriedade rural.

Investimento

Com o Investimento Agropecuário Tradicional você financia bens e serviços cujo desfrute se estende por vários períodos de produção, ainda que o orçamento ou plano de investimento contenha recursos para custeio.

Enquadramento dos Beneficiários

Custeio, comercialização e industrialização

  • Pequenos produtores (Pronaf): 3% ao ano e 4,6% ao ano.
  • Médios produtores (Pronamp): 6% ao ano
  • Demais produtores: 8% ao ano

 Programas de Investimento

  • Investimento: De 3% ao ano a 10,5% ao ano;